Sem tetos de Cabedelo interditam BR230 e denunciam truculência da Guarda Municipal durante reintegração de posse

Em nota a prefeitura diz que a guarda municipal apenas cumpriu uma reintegração de posse de áreas públicas nos Loteamentos Recanto do Poço, Prolongamento Jardim Atlântico e Cidade Recreio
Manifestantes sem teto que ocupavam áreas públicas em Cabedelo foram despejados na manhã desta quinta-feira (01/05), eles interditaram a BR 230 para denunciar a “truculência” da Guarda Municipal cabedelense durante reintegração de posse.
Segundo eles, os GCMs protagonizaram um total despreparo durante a reintegração de posse de áreas públicas nos Loteamentos Recanto do Poço, Prolongamento Jardim Atlântico e Cidade Recreio.
A denúncia dos moradores é que a abordagem da Guarda às famílias foi violenta. "Eles chegaram com uma abordagem muito violenta, segurando no braço de mulheres, empurrando, não deixou a gente pegar nada da gente, Leto falou que pobre tinha que morar no mangue, não queria pobre junto das casas dele", contou uma das moradoras.
Eles aguardavam um representante da Prefeitura de Cabedelo para dialogar sobre os assentamentos em área do município. Os manifestantes teriam sido retirados de suas moradias, que eram próximas à linha do trem no Jacaré. Recanto do Poço, Prolongamento Jardim Atlântico e Cidade Recreio
Vídeos divulgados nas redes sociais mostram guardas municipais derrubando um dos moradores no chão e pisando na perna dele. Uma mulher também foi detida com violência pela Guarda Municipal, sob protesto dos demais moradores. 
A Guarda Municipal não quis prestar informações à imprensa. O secretário da Guarda Municipal, Isaías Vieira, disse que não estava na operação, e informou que a prefeitura se pronunciaria por meio da Secretaria de Comunicação.
Em nota, a Prefeitura Municipal de Cabedelo (PMC) alega que cumpriu reintegração de posse das áreas públicas pertencentes ao patrimônio público municipal. A medida atende ao que determina o Art. 231, inciso II, do Código de Edificações do Município, baseado na Lei Complementar nº 18/2006.
De acordo com o Código, no artigo supracitado, “caberá ao Município promover a demolição de qualquer obra ou serviço (...) sem notificação prévia quando constatada a invasão à área pública, devendo o setor competente promover a imediata remoção”.
A prefeitura afirma ainda que cerca de 40 pessoas ‘invadiram’ os terrenos desde o mês de maio. A PMC, por meio da Secretaria de Planejamento do Uso e Ocupação do Solo, notificou, por diversas vezes, os protestantes e realizou uma ação, no dia 23 de maio, para desocupação espontânea dessas áreas, sem sucesso.
“Todo o processo de reintegração foi balizado pela Lei, e tudo foi feito para garantir a ordem e a segurança de todos os presentes”, destaca o secretário de Planejamento, Adalberto.
O delegado da Polícia Cívil de Cabedelo, Isaías Olegário, disse a reportagem que não recebeu nenhuma denúncia de pessoas que sofreram as agressões. “Nem mesmo a Prefeitura nos procurou para informar sobre a desapropriação”, declarou o delegado que, segundo ele, tem informações pela imprensa de que duas pessoas foram presas, mas que não chegaram à delegacia. “Estou aguardando”.
A Polícia Militar informou que estava dando apoio logístico à ação de reintegração. A PM negou que tenha efetuado prisões.
A Interdição da BR 230 - Durante a manifestação, os moradores chegaram a usar pneus e móveis para fechar tanto a rodovia quanto a linha férrea e acessos locais. A PRF acompanhou a manifestação até a retirada dos objetos e a liberação da via.
O presidente da associação dos moradores do assentamento, que se identificou apenas como Jailson, explicou que cerca de 60 famílias participaram da manifestação. “São pessoas carentes, que precisam de um lar. Eles estão aqui lutando pelos direitos deles. Alegam que a prefeitura chegou aqui com um mandato e começaram a desmontar os barracos com tratores. Estas pessoas não têm onde morar”, explica.
Da Redação
Foto: Internet

Edição: Aguinaldo Silva  
Compartilhe este artigo :

Gostou do que leu? Comente. Compartilhe. Divulgue

RENASCER EM NOTÍCIA

Minha foto

AGUINALDO SILVA - Radialista Profissional - 2.913 DRT-PB, 46 anos, servidor publico, natural de Mulungú-PB, radicado em Cabedelo-PB desde 1988, divorciado, pai de um casal de filho, produtor e ativista cultural, socialista por convicção, militante social, cultural e político em Cabedelo,  blogueiro, escreve no site www.cabedelonarede.com.br e no blog www.renasceremnoticia.blogspot.com
Ama os seres humanos e detesta a desigualdade social. "Se voce é capáz de se indignar com o sofrimento de seu semelhante, somos amigos" Frase de Che Guevara que tem como moldura em sua vida.
Atualmente trabalha na Casa da Cidadania de Cabedelo e busca ativar o movimento cultural do Renascer e interligar em rede, o terceiro setor de Cabedelo.
 
Site: Cabedelo Na Rede : Click aqui Copyright © 2011. Renascer em Notícia - Editado por Rhicardho
Proudly powered by Blogger